From this world and beyond

Acho muito meritório o trabalho de organizações como a Amnistia Internacional ou a Unicef, e dos seus membros, sejam voluntários ou não. Mas parece-me pouco ético o método adoptado pelos seus membros para abordar os cidadãos: dizer “não pode dispensar 5 minutos para os direitos humanos”, ou “não tem 5 minutos para as crianças que passam fome”, ou qualquer outra coisa do género, parece demasiado uma tentativa de manipulação psicológica barata e completamente contrária aos princípios que as próprias organizações defendem. O cidadão não tem de se sentir mal por não parar para falar, por não ter disponibilidade financeira para ajudar, ou até mesmo por não querer ajudar. A crítica implícita nas palavras de abordagem não é aceitável, e só faz com que, em vez de mais, as organizações consigam menos.

Advertisements
This entry was posted in Coisas que me dão comichão. Bookmark the permalink.

1 Response to From this world and beyond

  1. Nikkita says:

    Concordo plenamente contigo. Também já me aconteceu (mais que uma vez, até) e senti-me pessimamente, para ser sincera. É uma abordagem demasiado agressiva, sim.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s